Login Member Password

Mali

©Eduardo Carvalho,2008

FAQ - Frequently Asked Questions

1.    O Centro da Terra é uma jovem Associação criada em 2003, quem são as pessoas que a compõem? E de modo sucinto quais são os objectivos do CdT?

Os associados são maioritariamente pessoas singulares, algumas empresas, de diversas profissões, arquitectos, engenheiros, construtores, historiadores, arqueólogos, etc., que se interessam pela construção em terra nas suas mais variadas vertentes: patrimonial, ecológica, sustentável, alternativa, saudável, natural, por ser construtivamente versátil e possuir qualidade estética ímpar.

A associação propõe-se ser um fórum de discussão das técnicas, materiais e construção em terra, numa perspectiva de preservação do património existente e de promoção da Arquitectura contemporânea em terra.

 

2.    Quais as parcerias nacionais e estrangeiras que a associação mantém?

A Associação tem uma parceria nacional com o Programa Ecos - Energia e Construção Sustentáveis e tem tido convites para apresentar o que tem sido a actividade portuguesa na área da construção em terra em eventos e programas em Portugal e no estrangeiro, como por exemplo na feira "Emporio Mediterraneo" que teve lugar em Março de 2009 na Sardenha. 

Desde a sua criação tem colaborado nos seminários organizados pela Escola Superior da Galécia, Fundação do Convento da Orada,  Proterra e outras instituições universitárias e na realização periódica de oficinas de construção em terra.

 

3.    Como pode a minha organização juntar-se ao CdT? Que elementos de informação são necessários?

Será necessário contactar o CdT, fornecer os dados gerais da sua organização e descrever a sua actividade que, caso apresente objectivos compatíveis e enriquecedores para ambas as partes, será aceite como parceira mediante aprovação da direcção. 

 

4.    Tenho sugestões e ideias para o CdT, como posso tornar-me sócio?

Pode fazê-lo através da adesão no nosso site. (ver ADESÃO)

 

5.   Em que consiste a construção com terra crua?

A construção em terra crua consiste na utilização de solos argilosos com determinadas características,  utilizando diversos processos construtivos, para a edificação de paredes e coberturas das mais variadas formas.

 

6.    Quais as suas principais características?

Trata-se de um material inesgotável, ao contrário de muitos que actualmente utilizamos, de um material natural e praticamente sem transformação, que recorre a reduzidíssimos gastos energéticos.

 

7.   A Construção com Terra é reciclável?

A terra utilizada na construção é totalmente reciclável, retornando à natureza. A terra é trabalhada mecanicamente, com alguma transformação química pela adição de cal, e/ou pozolanas, sofrendo uma concressão à imagem do que foi produzido na natureza por fenómenos geológicos.   

 

8.    Relativamente à segurança estrutural de uma construção com terra, como funciona?

As soluções que garantem a segurança estrutural de uma construção em terra variam com o processo construtivo empregue. A terra pode utilizar-se como  enchimento de uma estrutura (sendo esta que garante a segurança do edifício) ou pode constituir  paredes "portantes". Neste caso, garantida uma determinada espessura e estabilização, comporta-se bem a forças verticais (à compressão) e menos bem a forças laterais (à tracção). As soluções estruturais que tenham em consideração estas características podem garantir uma perfeita segurança das construções em terra.

 

9.    É possível construir em terra crua em todos os continentes e situações climáticas? Exemplos?

Existem inúmeros exemplos de construção em terra nas regiões habitadas de todos os continentes e nas mais variadas condições climatéricas . As diferentes técnicas e formas de utilização do solo na construção foram sempre desenvolvidas em função dessas situações. Na Europa, desde os países nórdicos, passando pelo centro, França, Alemanha, até aos países mediterrânicos, encontramos inúmeros exemplos notáveis de construção vernacular e erudita em terra como o complexo l'Alhambra em Granada, Espanha, o mesmo se passando nos restantes continentes, como são exemplos as mesquitas em Djenné e Timbuktu, no Mali ou mesmo diversos chãteaux no Sul de França. Em termos de construção contemporânea surgem também cada vez com mais frequência em todas estas regiões.

 

10. Existe legislação específica sobre construção com terra crua em Portugal? Como se processa a aprovação camarária de um projecto em terra?

Infelizmente não existe ainda em Potugal legislação específica sobre construção em terra, como também não existe para outras técnicas de construção tradicional, como por exemplo para paredes em alvenaria de pedra.

O licenciamento de uma construção em terra processa-se da mesma forma que outra construção qualquer. Desde que seja garantido o seu correcto comportamento estrutural, térmico, acústico e de segurança por técnicos responsáveis o licenciamento é concedido.

 

11.  Actualmente em termos de custos de obra como se comparam as tecnologias de construção com terra em relação à construção corrente em tijolo cozido e betão?

Podemos comparar os custos da construção em terra face à construção convencional com os custos da fotografia a cores face à fotografia a preto e branco.

Mesmo perante recursos de transformação mais reduzidos, gastos energéticos e de matéria prima quase nulos,  o custo é ditado pelo mercado (oferta-procura) e por todo o processo industrial de produção que dá resposta a esse mercado, variando por isso de caso para caso.

Como a construção em terra assenta bastante na mão-de-obra, e sendo esse o factor mais importante, dado que a mecanização é reduzida, é possível, com um controlo económico de rigor, construir-se uma casa mais barata que na construção convencional, e é sem dúvida possível e bastante frequente fazê-lo pelo mesmo preço. No entanto, caso o processo não seja conduzido e executado por intervenientes capacitados,a construção pode apresentar valores mais elevados, que na maioria dos casos insidem apenas sobre cerca de 15 a 20% da edificação, mais frequentemente as paredes e raramente a cobertura. O mesmo se verifica aliás em qualquer outro tipo de construção.

Um dos aspectos mais interessantes da construção em terra neste domínio é que, no final, “se a obra sai ao preço de uma construção convencional é porque se gastou menos dinheiro em material e um pouco mais em mão-de-obra, o que na realidade dinamiza as economias locais."

 

12. Existem no mercado empresas de construção qualificadas para construir com terra?

Sim, em Portugal, nos últimos 15 anos começou a haver uma resposta às solicitações de mercado por parte de empreiteiros locais, especialmente no Baixo Alentejo, Litoral Alentejano e Algarve. A par da construção convencional, realizam obras em Taipa, Adobe e em Blocos de Terra Comprimida.

  

13. Em relação ao Património construído em Terra em Portugal, que exemplos existem? Qual o seu estado de conservação? Como pretende o CdT intervir?

Existem vários exemplos bem visíveis (comparativamente a todo o património arqueológico que tem vindo a ser descoberto) de arquitectura militar desde a ocupação árabe (Castelos de Paderne e Silves) até às fortificações tipo "Vauban" das guerras da restauração (muralha seiscentista da cidade de Faro) e das invasões francesas (Linhas de Torres). Encontramos arquitectura vernacular por todo o sul do país, nas cidades, vilas, aldeias e construções agrícolas espalhadas pelo meio rural.

Não existe no entanto ainda um inventário específico de todo o Património de construção em terra. É um trabalho por fazer e que o CdT pretende apoiar e desenvolver.

 

14. No caso de querer construir ou recuperar uma construção com terra crua, como devo proceder? Por onde devo começar?

Deve começar por procurar informaçáo sobre o assunto, nomeadamente através do site do CdT, onde pode encontrar contéudos específicos e contactos de pessoas ou instituições que se trabalhem em terra mais próximo da sua área.